31 de mar de 2015

Babilônia em chamas: Em curso operação gigantesca decorrente do esquema de agiotagem, desdobramento do 'Caso Décio Sá'.

Uma gigantesca operação da Polícia civil do Maranhão está em curso desde das primeiras horas da manhã, de hoje (31), em função da agiotagem envolvendo prefeitos, outros agentes públicos e agiotas.
São dezenas de mandatos de prisão, condução coercitiva e busca e apreensão. Essa operação é um desdobramento do "Caso Décio Sá'.
Já foi conduzida coercitivamente a ex-prefeita de Dom Pedro Arlene Barros, agora, pela manhã, para interrogatório.

Mudança na prática 17: Governo Flávio antecipa pagamento de servidores para esta terça-feira (31)


O governo do Estado antecipou o pagamento dos servidores para esta terça-feira (31). Previsto para o dia 1º de abril, o pagamento ainda no mês de março beneficiará 112 mil servidores ativos e inativos. Segundo o secretário da secretaria de Gestão e Previdência (Segep), Felipe Camarão, a decisão do governador Flávio Dino é de que quando houver viabilidade financeira, o pagamento será sempre antecipado.

A antecipação está sendo possível, segundo o secretário, após a determinação do governador de contingenciamento de 30% do custeio do tesouro, a redução dos contratos vigentes e a melhor aplicação dos recursos públicos, beneficiando 112 mil servidores que receberão os salários dentro do mês trabalhado.

Ainda de acordo com o secretário Felipe Camarão, o calendário divulgado anteriormente permanece inalterado. “Sabemos da importância do servidor para a garantia dos serviços públicos com qualidade à população e a diretriz do governador Flávio Dino é que todos os esforços sejam feitos para que possamos pagar os vencimentos no mês trabalhado.No entanto, não podemos antecipar com precisão a estimativa de receitas do Estado e isto faz com que haja necessidade de mantermos, por enquanto, o calendário de pagamento previamente divulgado”, disse.

Uma das poucas revistas da esquerda brasileira fala sobre erros e descaminhos do PT

CARTACAPITAL FALA SOBRE ‘ERROS E DESCAMINHOS’ DO PT

O especial de CartaCapital sobre o PT começa com Rodrigo Martins argumentando que os outros partidos de esquerda e as ideias progressistas pagam a conta pelo desgaste do PT. Ele menciona a hostilidade a ciclistas e as ameaças ao jornalista Leonardo Sakamoto como sintomas de que todos estão sendo tomados como corruptos. “Por causa dos equívocos do PT, o discurso da esquerda foi silenciado”, diz Renato Janine Ribeiro. “A radicalização inviabiliza qualquer debate sério”.

(Curiosamente, Eugênio Bucci, em Época, avisa a seus leitores para ter cuidado, pois “esquerda não é sinônimo de corrupção.)

Em seguida vem Mino Carta, ainda falando diretamente sobre o PT. “Só a ideia sobrou”, escreve o diretor da revista. “O homem sábio tem razões para temer quem começa à esquerda e acaba à direita, como FHC ou José Dirceu”, diz uma das chamadas. Mino diz que quem sonhou com um partido revolucionário e anticapitalista apostou errado.
O artigo seguinte, de Alfredo Bosi, mostra que a revista opinou demais na capa – e distorceu, ao reduzir todos os textos à opinião do diretor. Bosi escreve que o PT se tornou bode expiatório fácil de todas as situações difíceis por que passa o Brasil em um contexto internacional difícil. “A parte de responsabilidade que lhe cabe é hipertrofiada”, diz o professor.
Fábio Konder Comparato escreve que o PT se tornou uma triste nulidade política. Considera que é demonstrada pela leitura de seu estatuto, de 2013, pois não há ali uma única palavra sobre os objetivos do partido. O trecho aparece somente no fim do artigo, pois, no restante, Comparato faz uma reflexão sobre a vida política brasileira – moldada por quatro séculos de escravidão.
Carlos Lessa assina o artigo seguinte. Aqui acontece algo curioso, no contexto da chamada da revista: ele simplesmente não menciona o PT. Ele enxerga exaustão na 
Nova República e vê uma crise social, composta por crises econômica, política e institucional. “Quem propõe a pauta que permitirá organizar nosso futuro? Quem garantirá nossa governabilidade?” Para Lessa, os três poderes são responsáveis.
Com Análise de Mídia.

Governo Flávio, através do Procon busca acordo em reajuste nas passagens de ônibus de São Luís


A Gerência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon- MA) realiza, nesta terça-feira (31), nova reunião para estabelecer um acordo com a prefeitura de São Luís quanto aos percentuais de reajuste tarifários nas passagens de ônibus. O Procon- MA notificou, nesta segunda-feira (30), a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes de São Luís (SMTT) e o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de São Luís (SET) para que apresentem planilha com informações e justificativas, em virtude do aumento referido.

A medida foi definida depois que a SMTT e o SET anunciaram o aumento no preço das tarifas, no dia 27 de março. Neste domingo (29) os novos preços entraram em vigor. Os preços foram alterados de R$ 2,40 para R$ 2,80, de R$ 1,90 para R$ 2,20 e de R$ 1,60 para R$ 1,90.

De acordo com o diretor do Procon, Duarte Júnior, o objetivo é garantir um serviço público de qualidade e uma tarifa justa ao consumidor maranhense. Para tanto, o órgão esteve reunido na tarde desta segunda-feira (30) com representantes da Prefeitura de São Luís e da Agência Estadual de Mobilidade Urbana para conciliar os interesses do consumidor. Ficou agendada para esta terça-feira (31) uma nova reunião para que seja estabelecido um acordo.

Duarte Júnior explica que antes do aumento, os notificados deveriam ter realizado audiências públicas com os usuários destes serviços para expor e fundamentar as razões que justifiquem a medida. A Câmara de Vereadores e a Promotoria de Defesa do Consumidor também deveriam ter sido previamente informadas. O diretor do Procon acrescentou que além dessas obrigações, era necessário um decreto que estabelecesse esse novo aumento, devidamente publicado. Segundo ele, como não houve a publicação, o aumento não pode ser praticado.

“Como não foram realizadas audiências públicas nos moldes e exigências da Lei Municipal nº 363, tampouco a justificação do aumento estipulado, com informações qualitativas e quantitativas, nem publicação do decreto, notificamos a SMTT e o SET”, explicou o diretor do órgão, Duarte Júnior, ressaltando que acredita no diálogo para o reestabelecimento dos direitos do consumidor.

Por Emilly Castelo Branco Matos.
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

Insensatez: Às vésperas da semana santa prefeitura aumenta em até 19% o preço das passagens de ônibus

protestoslz001
Milhares de estudantes de São Luís saíram às ruas, na manhã, tarde e noite desta segunda-feira (30), para protestar contra o aumento abusivo de até 19% nos preços das passagens de ônibus na capital, autorizado na última sexta-feira (27) pela Prefeitura de São Luís.
protestoslz004
Com a manifestação, o trânsito ficou totalmente parado na ponte do São Francisco e na Avenida Beira-Mar. Os manifestantes se concentraram na praça Benedito Leite e seguiram para a sede da administração municipal.
protestoslz007
Na frente do Palácio de La Ravardiere, eles gritaram palavras de ordem e exigiram a presença do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, que não apareceu. Logo depois, seguiram para o Terminal da Praia Grande, reivindicando, também, melhorias no sistema de transporte público.
003
O movimento terminou de forma pacífica às 19 horas, mesmo com a presença de militantes do  PT, PC do B, PMDB e PSOL. 
002
Novas manifestações estão previstas para ocorrerem nesta semana.
001
Com o blogue Marrapá, confira aqui!
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

30 de mar de 2015

Mudança na prática16: Governo instala Comitês Municipais do Mais IDH em mais dez cidades


O governo do Estado, por meio da Secretaria dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), inicia a segunda etapa da instalação dos Comitês Municipais do Plano de Ações ‘Mais IDH’ nesta segunda-feira (30). Cinco equipes trabalharão simultaneamente para a criação dos comitês em mais 10 municípios: Centro Novo do Maranhão, Lagoa Grande do Maranhão, Conceição do Lago Açu, Satubinha, Amapá do Maranhão, Pedro do Rosário, Serrano do Maranhão, Brejo de Areia, Cajari e Governador Newton Bello.  

O secretário dos Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, destacou a importância dos comitês para o desenvolvimento do ‘Mais IDH’ nos municípios. “A criação dos comitês reflete a preocupação do governador Flávio Dino em envolver a população no processo de decisão política, pois uma agenda de mudanças não se executa sem que haja a ampla participação da sociedade no planejamento e na implementação das ações”, afirmou.  

A instalação dos grupos na esfera municipal teve início no dia 18 de março, durante a execução da primeira etapa do Mutirão Mais IDH. Os Comitês Municipais Mais IDH são instâncias de participação e controle social e têm a finalidade de monitorar as atividades do Plano de Ações ‘Mais IDH’, discutir e propor políticas públicas para os municípios.

A criação dos comitês tem sido realizada em plenárias com a participação de membros do poder público municipal (Prefeituras e Câmaras de Vereadores), organizações e representantes da sociedade civil local. Entre os municípios que tiveram seus comitês instalados durante a primeira etapa do Mutirão Mais IDH estão: Arame, Santa Filomena, São Roberto e São Raimundo do Doca Bezerra.

A secretária adjunta de Promoção do IDH, Aracea Carvalho, explicou que os comitês serão instalados em todos os 30 municípios inseridos no Plano de Ações ‘Mais IDH’. “Estamos cumprindo uma das atividades do plano, seguindo as diretrizes da atual gestão que é incluir a participação da população local no debate e elaboração das políticas para a melhoria do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal”, destacou Aracea Carvalho.

Calendário de instalação

Segunda-feira (30)
14h - Conceição do Lago Açu, Cento Novo, Pedro do Rosário, Brejo de Areia e Cajari.

Terça-feira (31)
14h - Satubinha, Amapá do Maranhão, Serrano do Maranhão, Lagoa Grande do Maranhão e Governador Newton Belo.

Losna: Uma erva que mata 98% das células cancerígenas em 16 horas

Losna/artemisinina pode ser encontrada em qualquer loja de produtos naturais.
Já reconhecida há mais de 2000 anos pela medicina tradicional chinesa como um poderoso remédio contra a febre e, mais recentemente, contra a malária, Artemisia annua (conhecida também como Losna ouAbsinto), é uma planta aromática com qualidades medicinais inequívocas.

Estudos recentes que usaram a planta para combater as células cancerígenas foram muito surpreendente. Assim, numa série de estudos, a artemisinina, uma substância extraída do losna e utilizada em fitoterapia chinesa há séculos, reduz as células do cancro do pulmão de até 28%. Em combinação com ferro, esta planta incrível mata 98% das células cancerígenas em apenas 16 horas. Ainda melhor; ele ataca seletivamente células “más” sem afetar o tecido saudável.

“Em geral, nossos resultados mostram que a artemisinina para o fator de transcrição” E2F1 ‘e está envolvido na destruição de células de cancro do pulmão “, foi indicado na conclusão da pesquisa realizada no laboratório de cancro da Universidade da Califórnia.

Um outro estudo da Universidade de Washington, liderado pelo Dr. Henry Lai e Narendra Singh, e até agora, o maior estudo feito à artemisinina nos Estados Unidos mostra que a artemisinina, sempre combinado com ferro, tem uma taxa comprovada de 75% de destruição do cancro da mama após apenas 8 horas e quase 100% de destruição em apenas 24 horas.

As células cancerígenas tendem a acumular mais ferro do que as células normais para promover a divisão celular, eles tornam-se mais suscetíveis à combinação de artemisinina e ferro. Finalmente, muitos outros experimentos foram realizados até agora todos eles têm mostrado que a artemisinina combinada com ferro pode efetivamente destruir o cancro em vários órgãos (intestino, próstata, etc). A infusão de artemisinina já oferece uma boa proteção contra vários tipos de cancro, mas a versão em pó seco seria muito mais eficaz.

Dr. Len Saputo classifica a artemisinina de “bomba inteligente contra o cancro.” Neste vídeo em Inglês, Dr. Saputo mostra como esta combinação de ferro e artemisinina pode ser desenvolvido em poderosos medicamentos anti-cancro.”

Fonte: ZacaMen

A Globo mente de novo. Lula nega aposentadoria por ter dedo decepado


Diante de mentiras que vêm sendo disseminadas pela internet, o ex-presidente Lula se viu forçado, mais uma vez, a negar que tenha sido aposentado por invalidez, quando perdeu um dedo num acidente ocorrido em 1964; "Quem recebe aposentadoria por invalidez não pode trabalhar e receber salários. Lula não deixou de trabalhar. Se a história fosse verdadeira, ele não poderia ter continuado sua atividade como metalúrgico, depois dirigente sindical e muito menos cumprir seus mandatos de deputado e de presidente da República", diz a nota divulgada pelo Instituto Lula neste domingo
Com Brasil  247.

29 de mar de 2015

Mudança na prática 15- Governador Flávio Dino anuncia investimento de R$ 30 milhões para a UEMA

Governador Flávio Dino anuncia investimento de R$ 30 milhões para recuperar a infraestrutura de vários campi da Universidade Estadual do Maranhão. Além do investimento, Flávio Dino assinou o ato de nomeação de 53 novos professores aptos a ingressar no corpo docente da instituição em diversos campi no estado.

A novidade da ocupação das ruas pela direita e a necessidade do PT revolucionar nossa cultura política


O PT realizará em junho o seu 4º Congresso Nacional. Eis a tese da corrente de opinião Mensagem ao Partido, liderada por ex-governador do RS Tarso Genro, pelos ministros Miguel Rosseto, Pepe Vargas, Edurdo Cardoso, ex-governadora do Pará Ana Júlia, ex-prefeita de Fortaleza Eliziane Lins e centenas de parlamentares e prefeitos. No Maranhão, eu, Balbina, Augusto Lobato, Cesar Bombeiro, Vicente, Ribamar, Moacir, Dimas, Neil, Luis, Eduardo, Robson, Joubert, Alcidinho, Jr Esperança, Montanha, Darlúcia, ...compomos a mensagem.

Mudar mais: por um novo ciclo de mudanças democráticas no país
Esta tese apresenta a opinião de companheiras e companheiros de diversos estados, identidades internas, formas de militância, que, compreendendo a relevância e complexidade do momento histórico do PT e do Brasil, se somam nessa iniciativa coletiva e plural de defender o socialismo e a democracia, apontando para um novo ciclo de mudanças democráticas no país.

I. Mundo
A situação política internacional
Sete anos depois da eclosão da crise econômica do capitalismo desenvolvido, ainda persistem dúvidas sobre a superação dessa fase. Os resultados da crise do neoliberalismo têm sido desiguais nos países centrais. A recuperação da atividade econômica nos EUA não é suficiente para repor a globalização neoliberal em seus antigos patamares. Além disso, essa recuperação ainda limitada se faz sem recuperar o nível dos salários, ou seja, consolidando a desigualdade e uma nova zona de pobreza nos países centrais, incluídos os EUA.

A hegemonia neoliberal retrocedeu, abrindo novos espaços políticos de alternativas tanto no plano nacional como internacional. Ao mesmo tempo, novos debates vêm se colocando com relativa força: a questão do desenvolvimento e do Estado, da democracia, das classes sociais e da própria crítica ao capitalismo. É importante lembrar que essas discussões estavam soterradas no tempo do pensamento único. Quiçá, possamos em breve ter o socialismo como tema atual. É para isso que lutamos.
A vitória da coalizão de esquerda Syriza nas eleições gregas e a busca de uma negociação por fora da agenda da Troika europeia é o primeiro sinal de ruptura da ordem no Norte desenvolvido. É verdade que aconteceu num dos elos fracos, em um país periférico da economia da UE. Mas o rápido crescimento da plataforma eleitoral de oposição à esquerda Podemos na Espanha parece apontar que a Grécia não é exceção, mas um novo capítulo da disputa de rumos nesse continente. É a primeira vez, desde que na França o governo Miterrand abandonou seu programa econômico progressista para aderir ao outro neoliberal em meados da década de 1980, que um país europeu ensaia sair do consenso econômico conservador.

Este é um momento em que os principais países latino-americanos – pelo seu tamanho, economia, população, etc. – sob governos progressistas enfrentam dificuldades macroeconômicas, duras pressões do mercado financeiro internacional e a ingerência do governo dos EUA, como podemos ver no caso da Venezuela, pioneira política do ciclo e a que mais se atreveu no caminho da agenda pós-neoliberal.

O mundo encontra-se em um processo de reacomodação da geometria do poder depois de passado o momento mais duro da crise do capitalismo desenvolvido em 2007-9, que tem várias dimensões. Uma econômica, em que os EUA lutam contra a perda de sua hegemonia. Uma política, com a busca de consolidar novos polos de poder que sejam capazes de contrabalançar a tentativa norte-americana de impor um mundo unipolar. Uma militar, em que o imperialismo norte-americano e seus aliados da OTAN continuam tentando definir o mapa mundi de acordo a seus interesses sem se importar com os custos humanos nem com os desequilíbrios regionais agudos provocados (como o surgimento do “Estado Islâmico” em territórios de Iraque e Síria).

O Brasil é um ator importante nas dimensões política e econômica dessa disputa (já no terreno militar, apenas pode aspirar a criar melhores condições para sua defesa e tentar retirar a América do Sul da esfera de influência dos EUA). Iniciativas como a ampliação do Mercosul, a constituição da CELAC, a consolidação da UNASUL e a atuação do Brasil junto a outras economias e potências emergentes (China, Rússia, Índia, África do Sul, etc.) em diversos “tabuleiros” tem um potencial expressivo na disputa por redesenhar a geometria do poder mundial para além do “mundo unipolar” ideado pelo EUA no cenário do fim da URSS no começo dos anos 1990.

O projeto econômico-social da revolução democrática brasileira não será possível sem um cenário regional amigável – com fortes e decididas tendências à integração dos países da América do Sul – e sem um marco internacional de contenção dos apetites do imperialismo norte-americano.
Dez anos atrás, em 2005, na cidade de Mar del Plata, Argentina, os governos progressistas, com destacada atuação do governo brasileiro, e os movimentos sociais e sindicais combativos da região derrotaram a principal estratégia dos EUA na região, a Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), iniciativa lançada pelo governo norte-americano em 1994 para manter sua hegemonia hemisférica. Durante os mandatos do presidente Lula o Brasil mostrou uma capacidade de liderança regional e internacional inéditas e que foi saudada por todas as forças democráticas, progressistas e de esquerda do mundo. Já no final do primeiro mandato da presidenta Dilma, a reunião dos BRICS e destes com UNASUL e Mercosul, no Brasil, puseram em evidência que há uma agenda potente no plano regional e internacional e muito importante para a própria estratégia do governo no Brasil:  Uma nova arquitetura financeira internacional assomou dessas deliberações e uma aproximação de nossa região aos polos geopolíticos alternativos aos da hegemonia norte-americana.
O Mercosul de hoje, não estabelece apenas acordos comerciais, cria espaços institucionais para uma agenda social, de acordo e cooperação entre os países. A UNASUL foi repensada de acordo com esses mesmos parâmetros: respeito, pluralidade e cooperação. É preciso aprofundar essas conquistas. Implementar o estatuto de cidadania do Mercosul, regulamentar a unidade de participação social do Mercosul, fortalecer e ressignificar o Programa Mercosul Social e Participativo, fortalecer e construir o Fórum de Participação Social da UNASUL e elaborar uma estratégia articulada de intervenção na UNASUL e no Mercosul são importantes desafios para o próximo período.
Um mundo multipolar está em curso. Será resultado de uma árdua luta dos povos para consolidar essa perspectiva histórica. O Brasil tem um papel insubstituível a jogar nessa disputa. Somente um governo liderado pelo PT com as demais forças da esquerda brasileira poderá cumprir essa tarefa.
A atualidade do socialismo petista

....Clique abaixo em mais informações e veja a tese completa.

Mudar mais: por um novo ciclo de mudanças democráticas no país.Serei candidato a presidente do PT. PIRACEMA NO PT JÁ!

Mudar mais: por um novo ciclo de mudanças democráticas no país.Serei candidato a presidente do PT. PIRACEMA NO PT JÁ!
Os diálogos avançam. Tive o prazer de receber o apoio dos companheiros Deusimar (ex-candidato a prefeito de Paulo Ramos), Daniel (PT de São Luís), Tom (ex-candidato a prefeito de Caxias), Ditola (Suplente de Vereador de Imperatriz), Mariano ( ex-vereador de Imperatriz) e Nilza ( Diretora da Contracs e secretária geral do PT-Barra do Corda).

Mudança na prática 15- Presídios do Maranhão reduzem número de mortes e fugas nos primeiros três meses do governo


A redução do número de fugas e mortes nos presídios do Maranhão foi um dos pontos abordados durante a reunião semanal da cúpula da Segurança Pública do Estado. Em avaliação junto ao governador Flávio Dino, secretários e comandantes do sistema de Segurança analisaram as medidas já tomadas nos três primeiros meses sob nova administração. A interlocução semanal faz parte da rotina do governo do Estado instituída pela atual gestão a fim de melhorar os indicadores da Segurança Pública no Maranhão.

Entre os dados discutidos na sexta-feira (27), foi detectado que o ano de 2015, até o mês de março, tem sido de maior organização do Sistema Penitenciário em comparação com os anos de 2013 e 2014. O número de mortes ocorridas dentro dos presídios, no período de janeiro a março, caiu de oito, no ano de 2013, e 12 em 2014, para quatro em 2015, no mesmo intervalo de tempo.

A mesma tendência de queda tem sido observada no número de fugas de detentos custodiados pelo Estado, em que a queda também foi bastante acentuada. Em 2013, 17 presos fugiram dos presídios entre os meses de janeiro e março, número que subiu em 2014 para 24 fugas. Já em 2015, primeiro ano da atual administração, foram registradas 15 fugas.

Mesmo com a tendência de melhoria observada nos primeiros meses, o governador Flávio Dino pediu que todos os integrantes do Sistema de Segurança continuem no esforço conjunto de trazer à população do Maranhão a sensação de paz que foi perdida nos anos anteriores, em que houve a redução do efetivo policial e a desarticulação das forças de segurança estadual.

Na avaliação de Murilo de Andrade, que comanda a pasta de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap), as medidas de segurança interna dos presídios, o estabelecimento de regras disciplinares e a melhor organização dos apenados pela secretaria são fatores decisivos para que nos primeiros meses de governo fosse observada essa melhora nos indicadores do sistema.

As reuniões acontecem periodicamente entre o governador, os secretários de Segurança Pública (Jefferson Portela) e Administração Penitenciária (Murilo de Andrade), os comandantes da Polícia Militar (coronel Alves) e Corpo de Bombeiros (coronel Célio Roberto) e o delegado-geral, Augusto Barros. Articulando informações e dados de todos os setores junto com o próprio governador, semanalmente, os gestores da Segurança Pública acompanham e integram seus trabalhos para o retorno da cultura de paz no Estado.

Por Aline Louise.
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

28 de mar de 2015

Parte da classe média destila ódio: AVC de Zé Dirceu leva internautas a pedir sua morte. É com esse ódio que iremos melhorar o Brasil?

ÓDIO POLÍTICO: AVC DE DIRCEU LEVA INTERNAUTAS A PEDIR SUA MORTE...É COM ESSE ÓDIO QUE IREMOS MELHORAR O BRASIL?
“Você vai conseguir vencer essa! Força AVC!!”; “Estamos juntos AVC. Não mata não por favor, só deixa ele vegetativo, cagando na cama.”; “Morre que passa.”; “‪#‎SomosTodosAVC‬”; “O demônio tá vindo buscar!”; estas foram algumas mensagens postadas após a notícia de que o ex-ministro José Dirceu foi internado em Brasília; "Como será possível continuarmos debatendo não apenas política, mas qualquer assunto nesses termos? É com este tipo de debate sério que iremos melhorar o Brasil?", questiona Lino Bocchini, de Carta Capital.



Aécio, Álvaro Dias e todos os senadores do PSDB não assinam CPI do HSBC

Por que será que os paladinos da moral 

do congresso 

contra corrupção da oposição, Aécio Neves, Antônio 

Anastasia, Aloysio Nunes, Álvaro Dias e todos os 

senadores do PSDB não assinaram CPI do caso

 HSBC?

Nenhum senador do PSDB assinou a CPI para investigar o escândalo do banco britânico HSBC, mas o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) anunciou no Plenário, nesta quinta-feira (26), ter protocolado o pedido de criação da comissão parlamentar de inquérito do HSBC. Combatentes contra a corrupção os senadores do PSDB, Aécio Neves, Aloysio Nunes Ferreira e Álvaro Dias não assinaram o pedido de CPI.

Ele informou ter conseguido 33 assinaturas, 6 a mais que o mínimo necessário para a criação de uma CPI. Pelo requerimento, a comissão terá 11 membros titulares e 6 suplentes. De acordo com Randolfe, o requerimento para a CPI tem interesse suprapartidário e não se dirige a “fomentar disputas desta natureza”. A intenção, disse o senador, é “desmantelar pela raiz” um grande esquema criminoso.

— Esse escândalo é de dimensão mundial. De acordo com o Financial Times, trata-se do maior caso de evasão fiscal do mundo. É necessário que o Parlamento brasileiro também se manifeste e instaure um procedimento de investigação — afirmou Randolfe.

O líder do PSB, senador João Capiberibe (AP), disse entender como prudente o fato de os senadores assinarem o pedido. Para ele, os escândalos da Petrobras já estão sendo investigados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, motivo pelo qual o partido resolveu esperar a conclusão das investigações.

— A do HSBC não tem processo judicial em curso, não tem investigação em curso, não tem nada. Eu acho que talvez seja o caso de o Senado pensar numa CPI — ponderou Capiberibe.

O senador José Pimentel (PT-CE), líder do governo no Congresso, informou ter assinado o requerimento. Segundo o senador, o Brasil está em um momento de combater a sonegação e de aumentar a formalização nos vários setores da economia, motivo pelo qual a CPI é importante. Para ele, a legislação do sistema financeiro já é muito avançada, mas pode passar por aperfeiçoamentos.

— É exatamente por isso que eu assinei essa CPI. Além de identificar aqueles que cometeram erros, o que eu quero, principalmente, é construir uma legislação para superar essas falhas — afirmou o senador.

Sobre a habitual polarização entre governo e período eleitoral nas CPIs, Pimentel disse esperar que a investigação não se limite a isso. O período, diz o senador, favorece o trabalho da CPI, já que é início de legislatura e as próximas eleições só serão realizadas no ano que vem.

R$ 7 bilhões

Conforme noticiado pela imprensa internacional, o banco HSBC na Suíça atuou de forma fraudulenta para acobertar recursos de clientes, blindando-os das obrigações fiscais e da comprovação da origem dos recursos — práticas que poderiam indicar atividades criminosas.

O escândalo, conhecido como Swissleaks, tem como fonte original um especialista em informática do HSBC, o franco-italiano Hervé Falciani. Segundo ele, entre os correntistas, estão 8.667 brasileiros, responsáveis por 6.606 contas que movimentam, entre 2006 e 2007, cerca de US$ 7 bilhões, que em grande parte podem ter sido ocultados do fisco brasileiro.

Na justificativa do pedido de CPI, Randolfe diz se tratar de “um arrojado esquema de acobertamento da instituição financeira, operacionalizado na Suíça, que beneficiou mais de 106 mil correntistas”, de mais de 100 nacionalidades. O total de recursos manejados dentro do esquema, segundo Randolfe, pode superar US$ 100 bilhões, no período de 1998 a 2007.

Para Randolfe, a lista dos titulares das contas certamente guarda estreita relação com outras redes de escândalos do crime organizado do país e do mundo. O senador lamentou que “o escândalo do Suiçalão” venha sendo sistematicamente ignorado pelos grandes veículos de comunicação no Brasil. Segundo Randolfe, essa seletividade denuncia o envolvimento de personagens poderosos, que podem sempre se servir da benevolência de setores da imprensa.


Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.


27 de mar de 2015

Babilônia em chamas: Lula chama Flávio pra conversar sobre conjuntura nacional e Eleições 2018

Em primeira mão: O ex-presidente Lula receberá o governador Flávio Dino,na sede do Instituto que preside, em São Paulo, ainda no mês de abril. Na pauta conjuntura nacional e eleições 2018. O PT pode muito bem ceder a vaga de presidente a um partido aliado do campo socialista. Os cenários estão sendo desenhados. Quem viver verá!
Na foto, Lurian da Silva, filha de Lula, participando ativamente da campanha eleitoral de 2014, no Maranhão, contra os candidatos da oligarquia Sarney-Lobão.Nesta com Arnaldo do PT, em Altamira. Em 2016, o presidente nacional do PT Rui Falcão impediu a intenção de um grupo do PT maranhense de indicar o vice-governador na chapa de Lobão Filho.