21 de dez de 2014

Em discurso emocionado, Flávio Dino enfatiza combate às desigualdades sociais como meta

O foco no combate às desigualdades sociais existentes no Maranhão reflete o entendimento do próximo governador do Estado sobre as prioridades em sua administração

De quem são e o que significam os diplomas entregues na tarde do dia 19 de dezembro de 2014, em São Luís, aos candidatos eleitos? Com esta reflexão, Flávio Dino conduziu o discurso de diplomação para frisar que sua atuação como governador será em nome dos milhões de maranhenses que sofrem pela falta de assistência do Poder Público.

Eleito governador do Maranhão com 63,4% dos votos no primeiro turno, Flávio Dino fez seu primeiro pronunciamento oficial na Diplomação dos Eleitos organizada pelo Tribunal Regional Eleitoral. Para ele, o ato da diplomação marca a vontade de milhões de maranhenses esquecidos pelo Poder Público, e que devem ser lembrados em todas as ações do próximo governo.
Defendendo a superação das desigualdades refletidas nos índices sociais alarmantes como o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), Dino afirmou que a diplomação não é um mero ato formal, mas um momento carregado de significados.

“Este diploma não é estático, mas é impregnado de vida. Do abraço que foi dado pela criança que encontramos na campanha, por aquela senhora que dizia que ora por nós. Este momento pertence aos mais humildes, aos esquecidos do Maranhão,” disse.

O foco no combate às desigualdades reflete o entendimento do próximo governador do Estado sobre as prioridades para o Maranhão. Segundo ele, o diploma materializa a missão “grandiosa que os eleitos têm pela frente”. Essa missão não é de autoridade, mas de promover a igualdade entre os maranhenses, disse emocionado.

Com o diploma, completou Flávio Dino, os eleitos estão investidos da missão de “ser servidor público, de servir ao povo, de não estar acima dos homens e das mulheres, mas estar junto a eles.”

Uma das metas a serem perseguidas cotidianamente é a fome, que ainda atinge metade dos maranhenses. Dados divulgados pelo PNAD esta semana revelaram que o Maranhão é o estado que possui o maior número de pessoas com insegurança alimentar. “Fome: palavra forte, aguda, cortante, mas que deve ser pronunciada para que lembremos sempre de nossa maior batalha. Essa é a missão que dá sentido maior a este momento”.

Além das desigualdades sociais, Flávio destacou o combate à corrupção e à reforma política que se colocam como temas centrais para atender aos clamores da sociedade, que esperam dos seus representantes políticos a representação “à altura do que os brasileiros merecem” e a prestação de serviços públicos de qualidade.

Acompanhado pela esposa Daniela Lima, Flávio Dino homenageou os seus familiares e se emocionou ao lembrar que seu pai, Sálvio Dino empenhou-se pessoalmente nas caminhadas, carreatas e ações da campanha. Dino citou ainda sua mãe, Rita Maria, e seus irmãos que acompanharam toda a cerimônia. O governador eleito agradeceu ainda aos parceiros de coligação e aos membros do TRE e servidores da Justiça que se empenharam para garantir eleições democráticas no estado.

E finalizou, emocionado: “Aproveito também para agradecer a generosidade do povo do Maranhão. Autenticamente sinto o peso das palavras que pronuncio e sinto peso das tarefas que nos foi incumbida. Junto com elas, sinto também coragem para enfrentar os desafios e por fim às desigualdades”.

20 de dez de 2014

Em primeira mão: Joubert Flanklin é o novo superintendente do Incra, no Maranhão

Em primeira mão:
O Incra do Maranhão tem novo superintendente. trata-se do atual dirigente do Terra Legal Joubert Franklin Alves da Silva. O nosso Joubert é do coletivo DS-Democracia Socialista que participa da Mensagem ao PT. Parabéns e avante!

Suplicy: "O PT deve retomar as suas relações com a esquerda brasileira, fundamental para a vitória de Dilma, no 2º turno"

De Suplicy :"Devemos retomar as relações com a esquerda brasileira, que foi fundamental para a nossa vitória, no 2 turno das eleições presidenciais. Não podemos permanecer refém do fisiologismo do PMDB, eis o nosso grande erro politico." Agora no Encontro da Mensagem, em Brasília.

Tarso Genro: "O problema do PT com o socialismo não está no território de abandono de causa"

"O problema do PT com o socialismo, não está no território de abandono da causa. O PT deixou de formular, de pensar. Por isso, não temos mais encontro com a realidade. Isso é mais do que grave." Tarso Genro, em comunicação ao Encontro da Mensagem, agora em Brasília.

Em março acontecerá o 1º Seminário de reinvenção do PT do Maranhão

Com a vive-predidenta do PT Clarissa, agora no Encontro da Mensagem ao PT, em Brasília.

De onde pode vir a nova maioria do PT nacional?


"Temos de construir uma nova maioria no PT. A Mensagem teve 20% do PED e 40% da nossa representação no Congresso. Temos identidade com vários setores da CNB, tais como: Marco Aurélio, Dulce, Guimarães, Okamoto, Gilberto de Carvalho e Rui Falcão ." Tarso Genro, em nota ao Encontro Nacional da Mensagem ao PT agora em Brasília.

Uma nova maioria vai se formando no PT do Maranhão e do Brasil

Marco Aurélio, no Encontro da Mensagem ao PT, ao lado da vice-presidenta nacional do PT Clarissa, do cientista social Juarez Guimarães e do deputado federal mais votado de Minas Reginaldo Lopes, fala que o último muro que cai da guerra fria foi o bloqueio econômico a Cuba pelos EUA.

Cuba livre do enorme bloqueio econômico Imperialista

Depois de 53 anos, ontem (17) os EUA, de joelhos para a história, rompe o bloqueio econômico contra Cuba. JUSTIÇA.

14 de dez de 2014

Revendo Imperatriz

Ontem (13), na confraternização do bar do Gil, em Imperatriz, revir amigos (as) da recente jornada de lutas: os professores Marco Aurélio- PCdoB (eleito o deputado estadual mais votado em Imperatriz), Adonilson-PCdoB (assume, no próximo dia 22, a condição de vereador de Imperatriz),Dimas-PT ( diretor da Unisulma) e os ativistas Ditola-PT (1º suplente de vereador de Imperatriz), Etevaldo Lima-PCdoB (irmão do vice-prefeito de Santa Inêz Dino Lima do PT), Eduardo Palhares-PSB, Chiquim-PT (aposentado do BB e fundador do PT em Imperatriz)... Ficarei na cidade até a terça, quando da confraternização dos partidos que coordenaram a campanha vitoriosa do povo maranhense com Flávio governador e Roberto Senador, na sede do PCdoB. AVANTE!!!

Maranhense fundador do PT torturado na ditadura foi solto a pedido do papa. Hoje, Manuel da Conceição mora em Imperatriz


Manoel da Conceição durante depoimento, em 2012, à Comissão Parlamentar Memória, Verdade e Justiça da Comissão de Direitos Humanos, em Brasília 
Manoel da Conceição durante depoimento, em 2012, à Comissão Parlamentar Memória, Verdade e Justiça da Comissão de Direitos Humanos, em Brasília.

Baleado, preso, amputado, torturado, exilado. Sobrevivente da ditadura militar (1964-1985). Falamos de Manoel da Conceição, 80, líder camponês do interior do Maranhão, cuja história é contada no relatório da CNV (Comissão Nacional da Verdade). Os abusos cometidos contra o lavrador nos porões da ditadura chamaram tanto a atenção na década de 1970 que o papa Paulo 6º chegou a intervir a seu favor e pedir sua libertação.
De família evangélica, seguidora da Assembleia de Deus, Conceição presidia o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pindaré-Mirim, município situado 177 km ao sul de São Luís, quando os militares tomaram o poder com um golpe em 1964. Formado na luta pela reforma agrária, a organização era o primeiro sindicato rural da história do Maranhão.
De imediato, o Exército ocupou a sede da entidade e ali ficou por 60 dias. Duzentos lavradores foram presos. Somente no mês de junho daquele ano, Conceição foi preso cinco vezes na cadeia municipal.
Mesmo fechado pela ditadura, o sindicato tinha 4 mil filiados em 1968, quando a polícia invadiu uma de suas sedes e baleou o dirigente na perna direita. Após seis dias preso e sem ser medicado, teve de amputar a perna.

Nesta época, Conceição e outros lavradores integravam a organização de esquerda Ação Popular, que lhe ajudou a obter uma perna mecânica. O Maranhão era governado por José Sarney, ex-presidente do país (1985-1990) e atual senador pelo PMDB-AP.
O camponês conseguiu reorganizar o movimento de lavradores na região, mas em janeiro de 1972, durante o governo do general Emílio Médici, auge da repressão no Brasil, foi preso no município vizinho de Trufilândia e transferido para a capital maranhense.
"Em 24 de fevereiro, foi sequestrado por agentes do DOI-Codi e movido para o Rio de Janeiro. Foi entregue ao Comando do I Exército e levado para o quartel da PE [Polícia do Exército] no bairro da Tijuca. Logo que chegou à 'antessala do inferno', nome que os próprios agentes davam ao lugar, a perna mecânica foi arrancada e, nu, foi colocado na 'geladeira', a solitária, onde era tratado literalmente a pão e água, entre sessões de interrogatório e torturas", afirma a Comissão da Verdade.

Prego no pênis

O documento contém um relato chocante feito por Conceição em depoimento à comissão. As torturas que sofreu foram além do choque elétrico, do pau de arara e do espancamento. "Levantaram meus braços com cordas amarradas ao teto, colocaram meu pênis e os testículos em cima da mesa e com uma sovela fina de agulhas de costurar pano deram mais de trinta furadas. Depois bateram um prego no meu pênis e o deixaram durante horas pregado na mesa".
O paradeiro de Conceição, que tinha à época dois filhos do primeiro casamento, era desconhecido pela família. Depois de sete meses sob tortura no Rio, foi levado para Fortaleza.
Em maio de 1975, Conceição foi condenado a três anos de reclusão pela Justiça Militar. Como já tinha passado mais tempo do que isso na prisão, foi libertado. Anos depois, após recursos, a Justiça decidiu absolvê-lo.


De acordo com a Comissão da Verdade, o sindicalista contou com o apoio do arcebispo de Fortaleza, dom Aloísio Lorscheider, então presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), para viajar para São Paulo, onde foi internado no hospital Santa Catarina graças à ajuda do cardeal dom Paulo Evaristo Arns e do pastor presbiteriano Jaime Wright.
"Devido à tortura, o agricultor urinava através de sonda e ficou impotente por anos. Depois de um mês de tratamento no hospital, ele foi para a casa do padre Domingos Barbé, em Osasco. Na manhã de 28 de outubro de 1975, a casa foi invadida por policiais, que levaram Manoel para o Deops paulista, onde o jogaram nu numa fossa cúbica, não muito longe da sala de torturas (...). Além do espancamento e choques elétricos, Conceição era ameaçado por policiais do DOI-Codi, que avisavam: 'Sua prisão não tem nada a ver com a Justiça, que foi incapaz de julgá-lo. O problema é nosso'", afirma o relatório.

Intervenção do papa

Tamanho abuso provocou uma mobilização que ultrapassou as fronteiras do país. "Na ocasião, o papa Paulo 6º enviou um telegrama ao general Ernesto Geisel [então presidente do país], pedindo por sua vida e exigindo libertação. Em 11 de dezembro de 1975, Manoel foi finalmente solto e ficou sob a proteção da Anistia Internacional, que providenciou seu exílio em Genebra, na Suíça, para onde partiu em março de 1976", relata a Comissão da Verdade.
Conceição foi para a Europa com a assistente social Maria Denise Barbosa Leal, que trabalhava no presídio de Aquiraz, na região metropolitana de Fortaleza. A filha única do casal nasceu durante o exílio. 
Com o processo de abertura política no Brasil e a aprovação da Lei da Anistia, a família decidiu voltar ao país em 1979 e se instalar no Recife. Conceição ajudou a fundar o PT. Segundo Denise, o marido assinou a ficha de filiação de número três quando o partido foi criado em fevereiro de 1980. 
Na primeira eleição que o PT disputou, em 1982, Conceição candidatou-se a governador de Pernambuco. Ficou em último lugar entre os quatro candidatos, com 4.027 votos. "A campanha não tinha absolutamente nada. Ele [Conceição] fazia discurso em cima de um caixote", lembra Denise, 74, que se formou em Direito e também foi filiada ao PT.
Em 1986, a família se mudou para o Maranhão e se fixou em Imperatriz, no sul do Estado. Conceição se candidatou a deputado federal e a senador, mas não se elegeu. Em 2010, ele e o deputado federal Domingos Dutra (então PT-MA) fizeram greve de fome contra o apoio da direção nacional petista à reeleição de Roseana Sarney (PMDB) para o governo do Maranhão.
Segundo Denise, Conceição debilitou-se desde então. Hoje, está bem fisicamente, diz a companheira, mas tem problemas de memória, o que prejudica sua comunicação. "Só volta a viver quando discute reforma agrária, a luta pelo meio ambiente e a luta por justiça. Aí toma alma nova", conta.

Evangélicos perseguidos

Por sua origem na Assembleia de Deus, o caso de Manoel da Conceição aparece no relatório da Comissão da Verdade na parte dedicada à perseguição de religiosos protestantes, também chamados de evangélicos.
O documento lista sete evangélicos que morreram ou desapareceram por causa das ações dos órgãos de repressão da ditadura. A relação tem os presbiterianos Juarez Guimarães de Brito, Ivan Mota Dias e Paulo Stuart Wright; os irmãos metodistas Daniel, Joel e Devanir de Carvalho; e a também metodista Heleny Telles Ferreira Guariba.
"Os protestantes com engajamento social, especialmente, aqueles vinculados ao movimento ecumênico, eram identificados pelos agentes do sistema como inimigos da nação. Protestantes e o movimento ecumênico estiveram sob constante investigação das agências de inteligência, com base na compreensão de que tinham poder de disseminação de ideias contrárias à Doutrina de Segurança Nacional", aponta o relatório.
Fundada em 1934, a CEB (Confederação Evangélica do Brasil), organização das principais igrejas protestantes brasileiras, foi invadida logo após o golpe de 1964 e teve seus arquivos apreendidos. "Diversos integrantes do movimento ecumênico protestante passaram pela experiência do enquadramento em inquéritos policiais militares (...): foram presos, outros torturados ou tiveram de fugir do Brasil".
Entre anglicanos, metodistas, presbiterianos e integrantes da Assembleia de Deus, 14 evangélicos foram expulsos ou fugiram do país durante a ditadura

Posse de Flávio: governador de todos nós

"Andar com fé eu vou, a fé não costuma falhar!" Gilberto Gil

Bomba, bomba, bomba: Roseana Sarney recebeu propina nas dependências do Palácio dos Leões, saiu na Veja


Retweeted Maranhão da Gente (@maranhaodagente):
Deu na @VEJA: Roseana Sarney recebeu propina nas dependências do Palácio dos Leões. Leia mais: http://t.co/B1xqSWLCU6

12 de dez de 2014

Canção para o início de natal: os beija-flores também cantam

Beija-flores invadem a minha casa. Sinal de paz, amém. Quero distribui-la a todos e todas!

Nota do Jornal Pessoal Eri Castro: 
Canção para o início de natal: os beija-flores também cantam. Para ouvi-los basta permitir que o silêncio impere e a paz invada o seu coração.

Vladimir Ilyitch Ulianov: Viva as Teses de Abril!

Em 1917, no calor revolucionário da Rússia gélida, Vladimir Ilyitch Ulianov conclamou o povo a lutar contra um regime que insistia em não atender o anseio popular. Discursando aos soviets, Lênin reafirmou os valores da igualdade e do direito afirmando seu nome na História da luta pela dignidade e contra opressão que nos obriga a andar cabisbaixos a procura dos restos e ossos que nos são lançados. Viva as Teses de Abril!

Urgente: Mudanças climáticas: algo incrível está acontecendo

Caros amigos de todo o Brasil,



O mundo está prestes a se comprometer com um futuro de energia 100% limpa! Mas a meta para eliminar a poluição de carbono corre perigo nas negociações de Lima. Vamos inundar os negociadores com mensagens agora, nos certificar de que eles saibam que o mundo está observando e enviar uma mensagem: fiquem firmes em prol do nosso clima!


envie uma mensagem
Algo muito importante está acontecendo nesta semana – nossos governos estão prestes a definir como meta o corte por completo da poluição de carbono, o que nos coloca rumo à energia 100% limpa! A meta está no rascunho do acordo global do clima, mas corre perigo.

Neste exato momento, ministros de todos os países do mundo estão em Lima, no Peru, para fechar o acordo. No entanto, empresas de petróleo, carvão e extração de gás – bem como países que querem continuar a poluir – estão fazendo pressão para tirar essa meta fundamental do texto do acordo. É aí onde entramos. 

O poder popular forçou a entrada dessa meta no acordo e agora precisamos protegê-la! Se não fizermos isto, cientistas já deixaram claro: mudanças climáticas catastróficas e fora de controle serão inevitáveis. Nossa melhor chance de bloquear os acordos escusos com poluidores é bombardeando nossos ministros com milhares de mensagens.

Se muitos de nós entrarmos em ação agora, eles saberão que estão sendo observados e que esperamos que defendam com afinco a meta de carbono zero e energia 100% limpa. Envie sua mensagem agora!

https://secure.avaaz.org/po/lima_summit_100_clean_po/?bUBMGgb&v=49883

A Avaaz tem uma equipe em Lima e vai garantir que cada representante nacional e a imprensa saibam quantas mensagens foram enviadas por país, e nossas mensagens podem até mesmo ser projetadas em telas dentro do salão da conferência e entreguesdiretamente aos ministros.

Ativistas contra as mudanças climáticas que trabalham com a questão há anos afirmam que nunca houve tanta esperança por medidas concretas como agora! Após centenas de milhares de nós termos tomado as ruas em setembro, governos como o dos EUA, países da União Europeia e China finalmente começaram a ouvir a voz do povo e a caminhar na direção certa. Fazer com que se comprometam a reduzir a poluição de carbono seria um imenso passo para a frente. Vamos garantir este progresso antes que os lobistas consigam destruí-lo. Envie sua mensagem agora:

https://secure.avaaz.org/po/lima_summit_100_clean_po/?bUBMGgb&v=49883

Há anos realizamos campanhas por ações contra as mudanças climáticas. Mas agora que nossos governos estão finalmente caminhando na direção certa, o risco não poderia ser mais alto, e o que acontecerá em seguida depende de nós. Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para conquistar o acordo e salvar o mundo!

Com esperança,

Alice, Iain, David, Emily, Laura, Oscar, Fatima, Ricken e toda a equipe da Avaaz